A BOL usa cookies para melhorar a navegação dos nossos utilizadores. Ao fechar esta mensagem aceita a nossa política de cookies. SaberMais/ Fechar
Distrito Sala
Detalhe Evento
Peça Feliz

Peça Feliz

Teatro & Arte | Teatro

Maria Matos T. M.

Sala Principal
Classificação Etária
A classificar pela CCE
Bilhete Pago
Todas as Idades
2017
nov
22
a
2017
nov
25

Próxima Sessão

22 nov 2017 21:30
Dias
Hrs
Min
Seg

Duração

60 minutos

Intervalo

Sem Intervalo.

Promotor

EGEAC, Empresa de Gestão de Equipamentos e Animação Cultural

Sinopse

Um show de variedades ou um musical são exemplos de formatos artísticos com bastante impacto no imaginário cultural ocidental, e não só. Estão normalmente enquadrados na categoria do entertainment, fruto de uma certa herança cultural, para não dizer política, que reflete uma estruturação ideológica da ocupação e divisão do tempo (o tempo do entretenimento/o tempo do trabalho; o tempo do prazer/o tempo da obrigação). O entretenimento é, segundo este ponto de vista, a parte boa da equação, uma espécie de pílula da felicidade que podemos tomar para atenuar as obrigações e os males da vida. A exploração comercial de um espetáculo também me pareceu um bom ponto de partida para questionar o outro lado da máquina de ilusão, revelando a sua força assim como as suas fissuras e fragilidades.
Este projeto nasceu há cerca de 4 anos quando recebi um convite para fazer uma peça em Inglaterra. Nessa altura, estávamos em plena crise financeira, exatamente antes do Brexit acontecer. Numa pesquisa inicial, descobri uma canção com o título Happy Days Are Here Again (os dias felizes estão de volta outra vez) que se tornou numa espécie de pano de fundo do nosso trabalho. A canção foi criada em 1929 por Milton Ager e apareceu no filme de Charles Reisner Chasing Rainbows de 1930, exatamente no período da Grande Depressão nos EUA, e tornou-se um símbolo da esperança que, apesar de tudo, era necessária para acreditar que alguma coisa ainda era possível. Naquele momento tal como agora.

Miguel Pereira

Ficha Artística

conceção e direção: Miguel Pereira
interpretação: Sofie Burgoyne e António Onio
participação/figuração: Ana Paula Gusmão, Beatriz Pires, Camilla Morello, Diogo Cadete, Helena Dawin, Inês Cartaxo, Jessica Guez, Luís Odrizola, Maria Matos, Martina Prudêncio, Naieem Coutinho, Rute HugmeNow, Sara Montano, Sara Palácios, Valentina Parravicini e Vitória Grilo
assistente: Pietro Romani
música: Miguel Feraso Cabral
desenho de luz: Eduardo Abdala
produção: O Rumo do Fumo
coprodução: Maria Matos Teatro Municipal e Teatro Municipal do Porto/Festival DDD Dias da Dança
residência artística: Teatro Maria Matos Estúdio Tobis
apoio: Dance 4 (Nottingham) e National Lottery/Arts Council England (1ª fase do projeto) e EGEAC
O Rumo do Fumo é uma estrutura financiada pela República Portuguesa Cultura/DGArtes

Apresentação no âmbito da rede Create to Connect com o apoio do Programa Cultura da União Europeia

Preços

  • Bancada Plateia - 12€

Descontos

  • Cartão Maria & Luiz
  • Maiores de 65 anos
  • Menores de 18
  • Menores de 30 anos

Partilhar
Cartão Maria & Luiz